Ansiedade: quando ela se torna um transtorno

A edição 42 do Janela do IPLEMG falou sobre Transtorno de Ansiedade. Não leu? Veja o texto na íntegra logo abaixo.

Pensando em distinguir a ansiedade normal da que passa dos limites, o site Healthy Placecriou um teste. Acesse o teste clicando aqui, imprima e responda.

O fim do ano é uma época cheia de compromissos – organizar eventos de confraternização com amigos e família, comprar presentes, planejar uma viagem de férias… E aí? Todos esses preparativos te deixam ansioso(a)? É comum e natural se sentir assim em algumas situações.A ansiedade é um mecanismo de antecipação dos aborrecimentos futuros, serve para que você se prepare para o que está por vir. O problema é quando ela passa do ponto, se torna recorrente ou, pior: te impede de viver normalmente, prejudicando fortemente a qualidade de vida.

O Brasil tem a maior taxa de transtorno de ansiedade do mundo, 9,3% dos brasileiros sofrem de alguma condição deste tipo, segundo divulgação da Organização Mundial da Saúde em 2017. São 18 milhões de brasileiros diagnosticados, e os números podem ser bem maiores se considerarmos as pessoas que não têm acesso a um diagnóstico específico. Pesam, nesse cenário, fatores socioeconômicos, como pobreza e desemprego, e ambientais, como o estilo de vida em grandes cidades. Vamos conhecer um pouco mais sobre essa condição tão prevalente.

Os distúrbios de ansiedade são condições médicas reais e sérias, tanto quanto doenças cardíacas ou diabetes. O termo “transtorno de ansiedade” refere-se a condições de medo ou preocupação extrema e inclui: ansiedade social, fobias, ataque de pânico, transtorno de ansiedade generalizada, transtorno obsessivo compulsivo e estresse pós-traumático.

Sinais e sintomas que podem caracterizar o transtorno de ansiedade:

  • Sentir-se nervoso e irritado;
  • Sensação de perigo iminente ou pânico;
  • Aumento da frequência cardíaca (coração acelerado);
  • Respiração rápida (hiperventilação), sudorese e / ou tremor;
  • Sentir-se fraco ou cansado;
  • Dificuldade de concentração;
  • Dificuldade para dormir;
  • Problemas gastrointestinais.

A importância do tratamento

Pesquisas sugerem que pessoas com transtorno de ansiedade correm um risco maior de ter problemas de saúde física também. Então, quando você gerencia sua ansiedade, você também cuida da sua saúde física.

Se você tem estresse diário, ansiedade cotidiana ou um transtorno de ansiedade, você pode aprender estratégias importantes para ajudá-lo a gerenciar e seguir em frente. A maioria das pessoas que procura tratamento experimenta uma melhoria significativa e desfruta de uma melhor qualidade de vida.

Transtornos de ansiedade são tratáveis em duas linhas: psicoterapia e medicamentos. Algumas pessoas respondem ao tratamento após algumas semanas ou meses, enquanto outras podem demorar mais tempo. Quem tem mais do que um distúrbio de ansiedade ou sofre de outras condições coexistentes, poderá ter um tratamento mais longo. Um profissional experiente realizará uma avaliação abrangente antes de discutir um plano de tratamento individualizado.

Vários tipos de psicoterapia podem ajudar com o transtorno de ansiedade. Tratamento comportamental cognitivo, abordagens baseadas em mindfulness e Terapia de Compromisso de Aceitação são algumas das modalidades que apresentam resultados positivos. Todas as terapias (às vezes de maneiras diferentes) ajudam as pessoas a mudar sua relação com os sintomas e entender a natureza da ansiedade em si. Ter menos medo da presença de ansiedade e fazer escolhas independentemente da presença de ansiedade. Técnicas de relaxamento, meditação, Yoga, exercícios e outros tratamentos alternativos também podem se tornar parte de um plano de tratamento

Os tratamentos abordados anteriormente precisam ser associados à modificação de alguns hábitos e pensamentos. Exercício físico, boa nutrição, sono adequado e tentar reduzir o estresse contribuem para o seu bem-estar e afastam a ansiedade.

Encarando o problema

Controlar a ansiedade pode trazer benefícios, como aumento da produtividade ou uma rotina mais organizada. Que tal adotar uma agenda para anotar todos os compromissos, projetos, aflições e questões existenciais que te deixam ansioso(a)? Assim, você encara o problema de frente e tem a oportunidade de refletir sobre o que te aflige. O objetivo não é se livrar desse sentimento, a ansiedade sempre estará presente, mas sim encará-la como uma ferramenta essencial para sua sobrevivência. As experiências do passados e as preocupações futuras são parte da história de cada um. Aceitá-los é o primeiro passo para ter uma vida plena, feliz e com a dose certa de ansiedade.

Ansiedade: quando ela se torna um transtorno

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.